quarta-feira, 18 de junho de 2008

Cartas de Iwo Jima



Ainda dentro da comemoração do centenário da imigração japonesa...

Ontem eu assisti ao filme “Cartas de Iwo Jima” pela segunda vez no canal HBO. Achei este filme interessante por dois motivos.

O primeiro é estético, com dessaturando o azul e o verde, sobressaindo apenas a cor vermelha em algumas cenas. Em algumas cenas parece que estamos mergulhados em um filme preto e branco, criando um clima antigo que nos faz focar nos rostos dos personagens da mesma forma que as fotos autorais em P&B.

Este filme me fez lembrar outros dois filmes modernos com esta estética P&B. “Rumble Fish”, no Brasil foi lançado como “O Selvagem da Motocicleta”, dirigido e produzido por Francis Ford Coppola em 1983. Este filme passava o tempo inteiro em preto e branco e apenas no final mostrava uns peixes de briga em cores. Este filme acabou ficando como o meu preferido de todos os tempos.

O segundo filme que me lembra foi “Cin City”, que eu gostei mais da estética, mas não gostei muito do roteiro. Também é rodado em preto e branco e mostra apenas os olhos azuis de uma das protagonistas, que é a garota que faz o seriado “Gilmore Girls”.

Voltando ao filme “Cartas de Iwo Jima”, o segundo motivo que me fez gostar deste filme é o personagem principal. Apesar de ele ser um soldado japonês, ele tem o bom senso e as reações de um ocidental equilibrado, procurando sobreviver no meio da loucura que é uma guerra. Ele contrasta com a imagem kamikaze que a maioria dos soldados japoneses mostra durante a batalha. Gostei também porque o filme mostra alguns soldados japoneses acovardados, mostrando que o heroísmo não estava presente em 100% dos soldados japoneses.

Os americanos também são mostrados como seres humanos verossímeis, praticando atos de bondade e maldade. Nenhum lado é apresentado como do “Bem” ou do “Mal”.

Boa pedida para quem gosta de filmes de guerra, sem muita pancadaria e efeitos visuais alucinantes...
Postar um comentário