segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Estagiário Danoninho

Outro dia eu estava acompanhando alguns técnicos soteropolitanos que visitavam o nosso escritório que fica na zona norte de São Paulo.

A agenda da manhã correu tranquilamente e resolvemos fazer uma pausa para o almoço. O gerente do escritório da zona norte escolheu um restaurante próximo, onde era possível chegar após uma breve caminhada.

Novamente o almoço foi tranquilo, conversamos amenidades e contamos piadas. Eu voltava tranquilamente, conversando e rindo com os nossos convidados, quando tocou o celular. Era uma funcionária do escritório onde eu fico trabalho.

Eu: - Oi, o que aconteceu?

Ela: - Você não vai acreditar, mas o estagiário se cortou com um estilete.

Eu: - Ué, manda lavar e colocar um band-aid.

Ela: - Já tentaram, mas não pára de sangrar...

Eu: - Foi grave assim?

Ela: -Sim... ele estava cortando umas plantas e se empolgou. Parece que arrancou a ponta do dedo.

Eu: - Putz... Já pede prá tia da limpeza separar alguns sacos de lixo preto.

Ela: - Prá que?

Eu: - Se ele morrer, joga ele no beco e avisa o RH para rasgar o contrato de estágio dele... Perae... Antes de rasgar o contrato de estágio, vê quanto que é o valor do seguro e quem são os beneficiários. Se der para mudar para o meu nome, não joga ele no beco.

Ela: -........

Eu: Tô brincando. Manda alguém levar ele para um pronto socorro ou farmácia.

Ela: -Ok... eu mando noticias...

Eu: - Como vou estar em reunião, me manda por SMS.

Desliguei o celular e meus companheiros de almoço perguntaram, assustados, o que havia acontecido. Parece que só entenderam a parte do saco preto e acharam que alguém havia morrido mesmo. Eu os tranquilizei e disse que foi apenas um pequeno corte com estilete.

Entrei na reunião e comecei a receber alguns SMS:

“O primeiro pronto socorro não atende o seguro saúde dele. Eles estão indo para outro”

“Chegaram no segundo pronto socorro e o atendente mandou passar no atendimento primeiro e fazer a ficha depois, porque está sangrando muito”

Eu pensei comigo mesmo: “Caramba...que raio de corte foi esse? O cara estava cortando plantas com uma serra elétrica?”

Finalmente chegou a última mensagem: “Ele foi atendido e está com o braço imobilizado. Não vem trabalhar amanhã”

Pensei novamente: “Imobilizaram o braço do menino, por causa de um corte de dedo?? Que esquisito”

Alguns dias depois ele apareceu. Já não estava com o braço imobilizado, mas tinha um grande curativo no dedo indicador.

Resolvemos criar uma nova regra no escritório. A partir de agora, só estagiários com mais de 21 anos podem usar objetos cortantes. Os marmiteiros com menos de 18 estão proibidos de almoçar com garfo e faca, podendo usar apenas colheres de plástico.

Tudo em nome da segurança.

Postar um comentário