quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

Não sei quantas almas tenho (Fernando Pessoa)

Não sei quantas almas tenho. (Fernando Pessoa). Não sei quantas almas tenho. Cada momento mudei. Continuamente me estranho. Nunca me vi nem acabei. De tanto ser, só tenho a alma. Quem vê só o que vê. Quem sente não é quem é,

One more penmanship / calligraphy exercise with dip pen. It was written with Leonardt Hiro flex nib and the text is one Fernando Pessoa poem fragment.

----------------------

Mais um exercício de caligrafia executada com caneta de pena. A pena utilizada é uma Leonardt Hiro flexível e o texto é um fragmento de um poema de Fernando Pessoa.
Postar um comentário